Carregando...

Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular - Minas Gerais

Pé Diabético

Em pacientes diabéticos o nível elevado de açúcar no sangue pode afetar os nervos e a circulação sanguínea das pernas. Todas as lesões ou complicações advindas destas alterações podem ser denominadas como “Pé Diabético”. A lesão da circulação pode causar úlceras ou gangrena dos pés ou pernas. A lesão dos nervos pode causar formigamentos, agulhadas, queimação, deformidade, ressecamento ou insensibilidade dos pés. Desta forma, o diabético não sente as lesões e estas pioram e podem se infectar, o que pode levar a amputação de pés e pernas.

Os principais sintomas são dor nas pernas, principalmente com exercícios, feridas que não curam, pés inchados, azulados e ressecados.

Cuidados:

– É preciso examinar diariamente os pés e ter cuidados com bolhas, rachaduras e ressecamentos.
– Evite colocar os pés de molho, pois eles poderão rachar ou ressecar.
– Nunca ande descalço, mesmo em casa.
– Não tente remover calos ou verrugas com curiosos e pedicures sem treinamento.
– Use diariamente uma loção ou creme hidratante nos pés. Retire o excesso e não use cremes entre os dedos.

O Diabetes pode levar a amputação dos pés ou pernas.

Para informações mais detalhadas ou específicas procure um especialista.

Fonte: SBACV nacional

Síndrome Pós-Trombótica

Na fase crônica, após dois a quatro anos da trombose venosa profunda, os principais problemas são causados pela inflamação da parede das veias que, ao cicatrizarem, podem levar a um funcionamento deficiente destes vasos sangüíneos.

O conjunto das lesões como pigmentação escura da pele, grandes varizes, inchaço das pernas, eczemas e úlceras de perna é chamado de síndrome pós-trombótica ou pós-flebítica. Esta complicação leva a imensos problemas socioeconômicos por ser de tratamento caro, prolongado e extremamente penoso em suas repercussões sociais.

Para informações mais detalhadas ou específicas procure um especialista.

Fonte: SBACV nacional